horas e minutos. Olá, seja bem-vind@! .

19 março 2017

Estou ficando rico. Vejam o que estou vendendo em Belém

LADRÕES


NA CADEMIA DE POLÍCIA

- O-soto-gari é o golpe que deve ser aplicado quando se anda em linha reta! – ensinava Kawamura (foto) aos alunos do primeiro ano do Curso de Formação de Oficiais, em Pernambuco.
E prosseguia, antes de nos colocar sentados para ouvir suas aventuras:
- O-soto-gari você puxa adversário para seu peito e tira equilíbrio dele, né? – dizia, ao seu estilo.
E complementava:
- Depois, passa a perna atrás dele e empurra adversário, né? – concluiu a explicação do golpe com a demonstração.
Em seguida, todos sentados para ouvir mais uma historinha que confirma a fama de Kawamura.
Desta feita, o professor contou que ia atravessando uma rua no bairro da Boa Vista, em Recife, quando percebeu que um carro poderia atropelá-lo.
Ele, então, correu mais rapidamente para atingir a calçada do outro da rua. Naquele momento, uma jovem estava sendo assaltada por dois homens. E sem querer, com a sua pressa de chegar ao outro lado, Kawamura acabou batendo no braço de um dos assaltantes.
Quando um deles percebeu que era o professor, avisou ao comparsa, assustado:
- Ih, é Kawamura, vamos fugir!
Mas, o famoso mestre ao perceber que se tratava de um assalto, segurou o braço de um dos bandidos, imobilizando-o. 
Mesmo assim, o assaltante sacou uma faca e ainda chegou a cortar superficialmente o braço do professor, antes de ser imobilizado.
Mas, o mestre encerrou a sua fala dizendo:
- Kawamura entrega sangue, mas quebra osso, né?

(Extraído do Livro A CASERNA FORA DO SÉRIO: O LADO CÔMICO DA VIDA POLICIAL).
Disponível na Livraria Leitura - Shopping Pàtio Belém.

Fique de olho nos políticos que vão votar contra o trabalhador

Você é o que você come

Descobri que tomava açaí com papel higiênico e agora carne com papelão.
pra cagar um caderno Tilibra 12 matérias.

18 março 2017

Ressacas


Venho pedir desculpas à Itaipava, Brahma, Skol, Heinekein, Skol, Antarctica, Bohemia,  por todas as vezes que as culpei de ter passado mal após os churrascos.
A culpa sempre foi da carne.
Cadeia nesses caras da Sadia, Perdigão e outras.